PDI – Plano de Desenvolvimento Individual: saiba o que é e como fazer o seu!

Você já sentiu que passou da hora daquela promoção tão esperada na empresa em que atua, ou tocar aquele projeto diferenciado e cheio de desafios? Pois bem, o PDI, que é a sigla para Plano de Desenvolvimento Individual, é um bom jeito para você se desenvolver e se preparar para estes desafios.



O PDI irá oferecer um guia, um direcionamento para onde você quer seguir em sua carreira e uma boa forma de entender o seu funcionamento é se perguntar: Onde e como eu quero estar na minha profissão daqui a 6 meses, 1 ano ou 3 anos?


Se a sua resposta foi vaga, sem objetivos definidos ou ainda sem resposta alguma, com certeza lendo este artigo você terá insumos suficientes para, através de uma metodologia simples, se organizar e mudar de patamar em suas ações e carreira.



O que é o PDI?


O Pano de Desenvolvimento – PDI, é um compromisso com você mesmo, com o seu desenvolvimento profissional. É você sendo o protagonista de sua carreira.


A construção do PDI é uma prática bastante comum em empresas, utilizada principalmente nos ciclos de avaliação dos colaboradores a fim de monitorar e acompanhar sua evolução profissional.


Este plano, organiza e sintetiza diversas ações a serem tomadas para que você conquiste um determinado objetivo e que envolve desenvolver competências (soft e/ou hard skills) pessoais ou profissionais. Ele é um roteiro para que você saia de onde está agora, e chegue aonde gostaria de estar, sendo quem gostaria de ser.


O Plano (P) traz à tona a necessidade de planejamento, o Desenvolvimento (D) nos remete ao crescimento, de fato, e o Individual (I) estabelece quem será o beneficiado das ações aqui definidas. Entretanto, para o seu pleno desenvolvimento, o planejamento deve ser claro e específico quanto a metas, estratégias e, principalmente, prazos.

Antes de mais nada, para elaborar um PDI, é necessário diagnosticar o que é preciso ser aperfeiçoado, ou seja, é necessário fazer uma análise da situação atual das suas competências.


Em seguida, verifica-se quais são as demandas existentes no mercado, na empresa em que a pessoa trabalha ou qualquer outro parâmetro de excelência que julgar crítico para o seu desenvolvimento, neste cenário o importante é identificar aonde se quer chegar, qual o principal ou principais objetivos. Deste modo, compara-se o estado atual e o ideal, chegando-se às competências que precisam ser desenvolvidas.


Depois disso, um plano de ação é elaborado, contendo todas as informações necessárias para sua execução, contudo, é muito importante a definição de prazo para cada uma das ações, para estabelecer compromisso e acompanhamento adequado a cada uma delas.


A construção de um PDI bem elaborado, bem como seu acompanhamento e execução efetiva das ações traz inúmeros benefícios conforme segue:

  • Motivação e direcionamento

  • Satisfação com a carreira

  • Melhora no desempenho individual e coletivo

  • Foco em questões específicas para alavancagem

  • Melhor alcance de metas

  • Crescimento profissional

  • Evolução das habilidades

  • Autoconhecimento

  • Aumento da Motivação


Identificando o estado atual


Como dito anteriormente, é importante antes de iniciar a construção do PDI, diagnosticar o estado atual. Seguem algumas ferramentas que irão lhe auxiliar nesta jornada:


Feedback - Uma das ferramentas mais utilizadas no mapeamento do estado atual é o Feedback.

Ele pode ser conseguido através de algum processo formal já existente na empresa ao final de um ciclo de avaliação, por exemplo, onde o gestor imediato coloca todos os pontos identificados para melhoria, bem como os que você se destaca. Caso não haja um processo formal, você mesmo pode buscar estas informações com o seu gestor, com seus pares, seus parceiros e sua equipe, caso já esteja no papel de um gestor, solicitando feedback a cada um deles. Quando você obtém informações de todos os níveis, pares, parceiros, equipe e gestores, dá-se o nome de Feedback 360º.


Autofeedback - Enquanto o feedback reside na apresentação do ponto de vista de um terceiro e a avaliação 360º se refere a uma análise geral dos demais colaboradores, o Autofeedback contempla uma das avaliações mais relevantes na vida de um profissional: a autocrítica. Trata-se de um item tão necessário quanto qualquer outro. Para que essa autocrítica seja útil, é imprescindível que o funcionário tenha maturidade intelectual e inteligência emocional para lidar com suas próprias falhas. Essas características são essenciais para que o indivíduo consiga se autoavaliar por completo. Este é um importante exercício, capaz de revelar muitos detalhes sobre as características das competências do colaborador, valendo para as potencialidades e para as fraquezas. A autocrítica possui extrema relevância ao conhecimento do estágio particular de evolução de cada pessoa. Quanto mais cedo ele ficar ciente de suas falhas, mais rápido ele iniciará uma trajetória que o conduzirá ao desenvolvimento pleno de si mesmo.


Análise através da Matriz Swot - A sigla Swot é um acrônimo das palavras, em inglês: Strengths (Forças), Weaknesses (Fraquezas), Opportunities (Oportunidades) e Threats (Ameaças). Na prática, apresenta informações que ajudam a construir um cenário global tanto sobre a situação atual de uma empresa como a de um indivíduo. A intenção é de que ao fazer uma Análise Swot Pessoal, a pessoa possa se conhecer melhor, identificar seus pontos fortes e de melhoria, bem como definir seu próprio plano de ação no sentido de vencer seus obstáculos e dificuldades, fortalecer seus talentos e competências, aproveitar melhor suas possibilidades, e transpor suas ameaças. Baixe aqui, um diagrama que irá lhe auxiliar neste preenchimento com algumas questões bem específicas para sua reflexão.


Análise Comportamental - A Análise Comportamental tem como base a identificação de traços comportamentais predominantes em cada indivíduo. Com as informações sobre os perfis comportamentais, a análise possibilita assertividade na gestão e desenvolvimento de pessoas. Há perfis mais adequados para determinadas funções ou com mais facilidade para desenvolver certas características e habilidades, mas sem determinismo ou juízo de valor. Além disso, analisar o comportamento ajuda a eliminar vieses externos. Nós temos uma personalidade única que se manifesta através do nosso comportamento e apesar de existirem bases para nossa personalidade, nossa conduta sofre a influência de fatores internos e externos, e a análise comportamental ajuda a compreender esses fatores, ajudando no autoconhecimento e avaliação da postura das pessoas que nos cercam, fornecendo ferramentas para mudar, quando necessário. Importante ressaltar que esta avaliação precisa ser conduzida por um profissional experiente e que possui formação nesta área, capaz de aplicar e dar feedback adequado sobre o resultado.



Construção do plano


Depois de realizada a análise do estado atual e definido os principais objetivos, ou seja, onde se deseja estar daqui a um período específico, chegou a hora de definir as metas e prazos. Cada uma das conquistas ou metas são as ações que o deixarão mais próximo do objetivo final, são os degraus que precisa subir. Neste caso, avaliar o tamanho de cada ação é importante, pois tarefas menores levam menos tempo para serem concluídas e já começam a trazer resultado. Tão importante quanto as ações a serem desenvolvidas, é necessário definir quais as estratégias, definir de qual forma você planeja alcançar suas metas e objetivos. A estratégia pode estar associada a realização de um curso específico, leitura de livros, dar palestras e treinamentos, entre outros.


E finalmente, um passo que não pode faltar na construção do seu plano é a definição de prazos para cada ação. O prazo é essencial para a conquista e a sua inexistência confunde nossa mente e afeta nossa capacidade de se organizar para cumprir os passos previamente determinados. O prazo irá gerar compromisso, e sua atenção a ele é crucial para o sucesso das ações.


Uma ferramenta que pode lhe auxiliar bastante na construção do PDI é o 5W2H. O 5W2H é uma das metodologias mais populares entre administradores, empreendedores, gestores e todo aquele que deseja seu aprimoramento profissional e pessoal para desenvolver um plano de ação específico, alinhado aos objetivos de um indivíduo, grupo ou organização.


Essa técnica define de maneira clara as ações a serem adotadas para a conquista dos objetivos onde temos:

What – O que será feito?

Esse W serve para que você encontre qual, exatamente será o seu plano de ação. Quando confrontado com um problema (seja ele uma falha ou ameaça), a primeira coisa a se perguntar é: o que eu farei sobre isso?


Who – Quem fará?

Certamente, você já sabe que suas ações são a parte principal do plano de resolução. Mas você deve considerar se é a única pessoa envolvida, se precisará de ajuda, e de quem.


When – Quando será feito?

O segredo para alcançar seus objetivos é definir e respeitar cronogramas e metas de curto prazo. Sem esses recursos, fica difícil se organizar. Para tal, sempre defina prazos para executar seus planos de ação.


Where – Onde será feito?

Onde seu plano de ação será aplicado? Você pode desenvolver as habilidades necessárias sozinho, ou precisa encontrar uma instituição de ensino, ou curso? Defina onde realizar suas ações para aumentar sua capacidade de organização.


Why – Por que será feito?

Quais são seus objetivos com essa ação, e por que você acredita que ela será eficiente? Essa pergunta ajuda a evitar soluções que não resolvem o problema pela raiz, evitando que você tenha que lidar com ele novamente no futuro.


How – Como será feito?

Todo plano de ação deverá ter um planejamento detalhado, com um passo a passo. Quanto mais você fragmentar uma meta de longo prazo em pequenos objetivos, mais fácil fica alcançá-la.


How much – Quanto custa fazer?

Se você pretende fazer um curso ou formação, qual é o investimento necessário? E lembre-se: nem todo o custo se refere a dinheiro. Você pode ter custos em tempo, dedicação, esforço ou carga emocional.



Alcance seus resultados e seja feliz!


Agora chegou a hora de colocar em prática todas as ações que você definiu para sua evolução profissional. Para lhe auxiliar com estas conquistas, seguem algumas dicas:

  • Incluir prazos em todas as ações

  • Utilize metas viáveis – conceito SMART

  • Mantenha a disciplina

  • Tenha foco no resultado

  • Aceite possíveis mudanças de rumo

  • Seja organizado e pontual

  • Comemore suas conquistas em cada etapa concluída

E lembre-se, o PDI não é estático, ele pode mudar ao longo de sua jornada e tudo bem se isso acontecer. O importante é que as ações estejam alinhadas com seus objetivos profissionais e seus diferentes momentos de vida tem bastante influência sobre o andamento e o que queremos alcançar.


E não deixe de realizar o download do Template do PDI clicando aqui, tenho certeza de que irá lhe ajudar bastante.

Sucesso!!!

6 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
WhatsApp (2).png